Postagem em destaque

Quarta Colônia Italiana do RS

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

FAMÍLIA DE JOSÉ DOMINGOS RORATO E ELIZABETHA MARCUZZO

Agricultor e funcionário público, José trabalhou muito para sua família.Domênico Giuseppe Rorato (Domingos José) – nasceu em Vale Vêneto em 07 de julho de 1893. Casou com Elizabetta Marcuzzo, no dia 13 de setembro de 1916 em Vale Vêneto. Elisa, como era conhecida, nasceu no dia 24 de setembro de 1896. Era filha de Giuseppe Marcuzzo e Luigia Girotto. Giuseppe (n. 15.06.1847 - Faé) era um imigrante de Oderzo, Treviso, casado primeiro com Catterina Catallan, da qual teve dois filhos; Cândido e Geremia. Catterina durante a travessia do mar veio a falecer e foi jogada às águas. Viúvo casou com Luigia também viúva (era casada com um membro da família Iop) e teve os filhos; Antônio, Marieta, Catarina, Ângela, Luiz, Mariano, Josefina, Elizabetta e João. Giuseppe e Maria casaram e deste casamento nasceu Elisabeta. Domingos José morreu em 31 de maio de 1971. Elisa faleceu em 21 de dezembro de 1977.
José era agricultor em Vale Vêneto e funcionário público federal da EBCT, onde se aposentou. Duas vezes por semana, passava boa parte do dia fora de casa. Deixava sua família pela madrugada, montado num cavalo, e mais tarde de ônibus, e se dirigia de Vale Vêneto, subindo a serra chegava a Silveira Martins, passando por Camobi, até chegar a Santa Maria, entregar e receber as correspondências e depois fazer o caminho da volta. Chuva ou sol, frio ou calor, o trajeto deveria sempre ser cumprido. Quando adoecia (certa feita fraturou um dos pés), ou deveria atender uma obrigação da família, era seu filho homem mais velho, Atanásio, que o substituía. Com o trabalho do correio e o serviço da roça, criou todos seus filhos. José era sisudo e sério. Em 1965, sua casa foi destruída por um vendaval. Felizmente todos sobrevieram. José com os filhos ainda solteiros foi morar na vila. José tinha dotes musicais. Integrante da banda Giuseppe Verdi, tocava bumbo e João, seu irmão, clarinete.

José e Elisa (na foto acima) tiveram 11 filhos, todos nascidos em Vale Vêneto (foto abaixo).

1 – Carmelinda Aurélia Rorato – Solteira. Nasceu em 5 de julho de 1917. Trabalhou por muitos anos junto aos padres palotinos, nas paróquias de Novo Treviso e em São Martinho, no noroeste do estado, até aposentar-se. Era conhecida por todos como Carmen. Faleceu com 85 anos de idade no dia 16 de agosto de 2002, em Vale Vêneto.
2 – Alda Rorato –nasceu em 18 de outubro de 1918, é casada com Alfredo Desconzi, em 23 de setembro de 1942, em Vale Vêneto. Alfredo é filho de Benjamim Desconzi e Lúcia Cremonese, e nasceu em 10 de outubro de 1916. Alfredo aposentou-se trabalhando na Olaria Desconzi, em Santa Maria. O casamento resultou em 8 filhos, todos nascidos em Santa Maria.
2.1 – Amauri Luiz Desconzi – nasceu em 21 de junho de 1943. Casou com Eloá Noro. .2.2 – Lauri Bernardino Desconzi – nasceu em 16 de dezembro de 1944. Casou com Lorena... em Santa Maria.
2.3 – Neusa Anita Desconzi – casada com Alberí Gonçalves, nasceu em 14 de maio de 1946.
2.4 – Ênio Agostinho Desconzi – nascido em 6 de dezembro de 1948 e casou com Margarete Vígaro, em 16 de julho de 1977 em Santa Maria.
2.5 – Ieda Luiza Desconzi – nasceu em 1º de janeiro de 1950. Casou com Luiz de Lima em 28 de dezembro de 1983 em Santa Maria.
2.6 – Vera Maria Desconzi – nascida em 10 de janeiro de 1952, e casou com Antônio Gilberto Mozzaquatro.
2.7 –Ivoni Maria Desconzi – casada com Gilberto Andrade.
2.8 – Vicente Hélio Desconzi – nasceu em 6 de junho de 1955, casado com Lucimar Camponogara, em 17 de dezembro de 1987 em Santa Maria.
3 –Atanásio Rorato – nasceu em 19 de setembro de 1920. Atanásio foi batizado com este nome, pois na época do nascimento havia em Vale Vêneto as Santa Missões, e um dos sacerdortes pregadores tinha este nome e uma homenagem a Santo Atanásio. Ao completar 18 anos, foi servir o exército nacional, no 3º Grupo de Obuzes, na cidade de Cachoeira do Sul. Lá permaneceu por três anos, de 2 de fevereiro de 1942 a 19 de janeiro de 1945. Foi no período da 2ª guerra mundial. No exército, exerceu a função de telefonista. Casou no dia 23 de agosto de 1947, com Clotilde Maria Dotto, nascida em 5 de maio de 1923, na Linha da Glória. O casamento civil ocorreu no cartório de Silveira Martins e o religioso na Igreja Corpus Christi de Vale Vêneto. Clotilde é filha de Ângelo Bráz Dotto e Marcelina Iop. Logo após o casamento, trabalhou no Seminário Palotino. Em 1949, transferiu residência para a localidade de Esquina Londero, município de Santa Rosa, depois Horizontina e hoje Dr. Maurício Cardoso, acompanhando a família de seu sogro, onde adquiriu uma propriedade rural de 12 hectares. Foi o que mais se distanciou da família. Naquela época a comunicação e os meios de transporte eram muitos difíceis, em função da precariedade. Encontrava-se muito pouco com os familiares, apenas em casamentos ou em caso de morte de familiar. Os filhos cresceram e os tempos mudaram. Teve então, a oportunidade de visitar com alguma freqüência a família. Certa vez ficou 20 anos em ver seu irmão Luís, que morava na época em Manoel Viana. Encontraram-se no enterro da mãe Eliza. Desbravando muito mato no início e desenvolvendo atividades agrícolas até sua aposentadoria e onde criaram seus cinco filhos, todos lá nascidos. Após ter criado, educado e encaminhado os filhos para a vida através dos estudos, mudou-se no ano de 1985 para a cidade de Santa Rosa, , no Bairro Cruzeiro. Acometido de vários derrames cerebrais, veio a falecer no dia 7 de maio de 1999. Está sepultado no cemitério do Bairro Cruzeiro. Foi sócio fundador da comunidade católica N.S. de Fátima de Esquina Londero. Era devoto de Nossa Senhora da Rosa Mística e de São Vicente Palotti.



Atanásio Rorato e Clotilde Maria Dotto Rorato
3.1 – Lucina Maria Rorato – Professora estadual aposentada. Nasceu em 11 de maio de 1951. Casou com Valter Tubiana, em Tucunduva, no dia 27 de janeiro de 1996. Valter, motorista profissional, nasceu em 25 de fevereiro de 1967 e é filho de Vilarim Tubiana (in memorian) e Joveni Leal. Residem em Santa Rosa. Filhos: Tainara Cristina Tubiana – (in memoriam) 26 de abril de 1988. Está sepultada em Tucunduva. Luiz Henrique Tubiana - nasceu em Santa Rosa, no dia 26 de janeiro de 1999.
3.2 – Atanagildo Germano Rorato – nasceu em 7 de abril de 1954. Formado em Estudos Sociais e Zootecnia, é professor da Escola Estadual Técnica Fronteira Noroeste de Santa Rosa. Casou com Neusa Dall Agnese, em 11 de julho de 1987, no Bairro Cruzeiro. Neusa também é professora, nasceu em 28 de setembro de 1955, é filha de Benvenuto Domingos Dall Agnese (in memorian) e Maria Olímpia Merchiori. Residem em Santa Rosa. Filhos: Otávio Augusto Rorato – nasceu em santa Rosa, no dia 12 de agosto de 1988. Gustavo Henrique Rorato – nasceu no dia 23 de setembro de 1991, em Santa Rosa.
3.3 – Clarice Maria Rorato – nascida em 7 de fevereiro de 1956. Professora Estadual. Casou com Jandir Luís Tusset, no dia sete de fevereiro de 1981, em Tucunduva. Jandir, motorista profissional, nasceu em 04 de agosto de 1957, é filho de Leonório Tusset e Tereza Tomasi. Residem em Tucunduva. Filho: Heitor Carlos Tusset – nasceu em 6 de setembro de 1984. É estudante e instrumentista musical.
3.4 – Veronice Maria Rorato – Professora Estadual, solteira, reside em Santa Rosa. Nasceu em 17 de janeiro de 1958.
3.5 – Elemar José Rorato – casado com Salete Terezinha Zamin, Professora, em 5 de janeiro de 1991, em São Marcos - Tuparendi. Salete é filha de Hermínio Zamin e Gema Tibulo (in memorian), nascida no dia 21 de abril de 1963. Êle é servidor do Poder Judiciário. Reside em Santa Rosa. Filho: Renan Zamin Rorato – nasceu em santa Rosa, em 24 de outubro de 1997.
4 – Hermenegildo Luís Rorato – Nasceu em 17 de julho de 1922. Era agricultor. Casou com Dilma Matilde Bortolazzo em 09 de agosto de 1951 em Vale Vêneto. Dilma nasceu em Ribeirão, no dia 10 de setembro de 1926 e faleceu em 31 de maio de 1990, em Vale Vêneto. Era filha de Pedro João Bortolazzo e Maria Pozzobon. Residiram por muitos anos em Manuel Viana, em lavouras de arroz, após retornando para Vale Vêneto. Uma tragédia marcou a família. Era domingo, meio dia, de 08 de março de 1991. Como bom descendente de italianos, Luís, como era conhecido, foi ao porão buscar um bom vinho, para degustar durante o almoço, junto com os familiares. Quando chegou à cozinha, próximo da mesa, onde era servido o almoço, veio à fatalidade. Desandou o telhado daquela parte da casa, em cima dos que ali estavam se preparando para almoçar. O mais atingido foi Luís. Levado urgentemente para um hospital de Santa Maria, aonde duas horas após a ocorrência do fato, veio a falecer, não suportando os ferimentos e fraturas pelo seu corpo. O casal foi abençoado com 6 filhos.
4.1- Nilva Rorato – Solteira.
4.2- Gilberto Rorato – Agricultor em Vale Vêneto. Casado com. Aneci M. Dotto Rorato, conhecida como Chica, nascida em 8.02.1952. Faleceu prematuramente em 16.08.2005. Está sepultada em Vale Veneto. O casal teve 2 filhas.
4.3 – Isolete Rorato. Casada reside em Tangará da Serra, no Mato Grosso é casada e tem dois filhos.
4.4 – Alamir Rorato – mora em Camobi, Santa Maria e é casado com ..... Não possuem filhos.
4.5 – Noeci Ana Rorato – reside em Santa Maria. Tem uma filha.
4.6 – Maria Rorato – reside em Santa Maria.
5 – Valdemar Eusébio Rorato – Nasceu em 06 de janeiro de 1925. Quando ainda jovem foi trabalhar numa fazenda de arroz irrigado. Lá, foi acometido de uma doença que o deixou paralítico das pernas pelo resto da vida. Optou, então, por não se casar. Primeiramente andava com desenvoltura, auxiliado por um par de moletas. Mais tarde teve que optar por uma cadeira de rodas. Após a doença se dedicou na profissão de sapateiro, até se aposentar. Cuidava também da SACE e museu. Era uma pessoa muita querida por todos. Morava no centro do vale. Durante o dia, aposentado, permanecia sentado na frente de sua casa, onde vislumbrava uma bela paisagem do vale, frente a igreja matriz e praça, presenciava o movimento e costumava conversar com os transeuntes, pois possuía uma círculo de amizade muito grande e gostava muito de conversar e contar histórias e estórias com as pessoas. Muito doente, faleceu, em 31 de maio de 1994.


Valdemar Rorato

6 – Ático Eusébio Rorato – nasceu em 13 de fevereiro de 1927. Casou com Leontina Virgina Dotto, em Vale Vêneto, em 08 de agosto de 1959. Faleceu repentinamente após uma parada cardíaca, na madrugada de uma véspera de Páscoa, dia 2 de abril de 1961. Assistiu a missa da meia noite, e faleceu as 5 horas da manhã, repentinamente. Ambos já estão falecidos. O casal tem um filho, Heitor Rorato, que reside em Caxias do Sul. Casado.



Ático Rorato e Leontina Virginia Dotto
7 – Nelson Marcelo Rorato – nasceu em 15 de julho de 1929. Exerceu suas atividades como açougueiro na Linha Cinco, próximo ao Clube Caravelle. Aposentou-se exercendo esta atividaee. Casou com Agnes Bortoluzzi, filha de Paulo Bortoluzzi e Assunta Bortolazzo. Todos os filhos nasceram em Vale Vêneto, onde sempre o casal residiu. Agnes faleceu em 27/02/2008 e Nelson 26/05/2008.


Nelson Rorato e Agnes Bortoluzzi
7.1 – Miriam Rorato – Professora, casada com Vicente Guarienti, engenheiro mecânico, reside atualmente em Santa Maria. Filhos: Gabriela, Gisela, Carolina e Eduardo Guarienti.
7.2 – Rubens José Rorato – casado com Cleonice Tolfo, natural de Silveira Martins, onde também ocorreu o casamento. Dono de uma mercearia e um açougue mora em Santuário - Restinga Seca, RST que liga Santa Maria – Santa Cruz do Sul, trevo de acesso a São João do Polêsine e Faxinal do Soturno. Filhos: Mateus Roratto, nascido em 03/08/1988. Samuel Roratto – nascido em 22/09/1991.
7.3 – Vaine Rorato – Casada com Jaime Barros Júnior e reside em Vale Vêneto. Filhos: Marcela Barros, Jonas Barros e Nelson Barros – Nelsinho.
7.4 – Tânia Rorato- casada com Adair Marin, mora em V. Vêneto. Filhos: Nicolas Rorato. Natália Marin.
7.5 –José Paulo Rorato – Solteiro. Reside em Santa Maria. Graduado em música. Professor e maestro de vários corais da região.
7.6 - Jones Rorato – casado com Marta Tronco. Funcionário público federal dos correios e reside em Agudo. Não tem filhos.
7.7 – Raquel Rorato – casada com Marion Freitas, e reside em Santa Maria. Filhos: Rafael Freitas. Ângelo Freitas – nascido em 2007.
7.8 – Luciana Rorato – Solteira.
8 – Olinto Mariano Rorato – Nasceu em 27 de maio de 1930. Dedica-se a agricultura, plantio de arroz e milho e criação de suínos. É solteiro. Mora com a família de seu sobrinho Gilberto, em Vale Vêneto.
9 – Anair Maria Rorato – casada com Alcides Giacomini. Nasceu em 28 de abril de 1935. Logo após o casamento fixaram residência em Manuel Viana, onde eram proprietários de um armazém. Lá nasceram os seus filhos. Reside Atualmente o casal reside próximo a RST 149, no km 136, já no perímetro urbano de São João do Polêsine.
9.1 – Ana Paula Rorato Giacomini – nascida em 29.11.1970. Faleceu em acidente automobilístico em 09 de maio de 1998, juntamente com seu irmão Roni César, estão sepultados em S. João do Polêsine. Residiam em Porto Alegre e na noite do acidente viajavam para São João do Polêsine para ir ao velório de sua vó Giacomini. Estavam retornando por um caminho que haviam tomado erra damente, mas antes de chegar à estrada corrigida colidiram frontalmente com um caminhão ceifando sua vida e de seu irmão, próximo a Lajeado-RS.


Anair Rorato e Arlindo Giacomini
9 2 – Roni César Giacomini – nascido em 19.04.67. Faleceu tragicamente em acidente de automóvel juntamente com sua irmã Ana Paula, em 09.05.1998.
9.3 –Oslaine Rorato Giacomini – casada com Nelson Freitas, natural do interior de Santa Maria. Ambos são funcionários públicos. Filhos: Gabriel e Gustavo Freitas
9.4 – Paulo César Rorato Giacomini - Solteiro. Técnico em Segurança do Trabalho.
10- Adagir Celestino Rorato – nasceu em 08 de julho de 1938. Casou com Nilva Zanini, em 24 de abril de 1971, em Vale Vêneto. Nilva nascida em 15 de abril de 1944, é filha de Primo Zanini e Josephina Guarienti. Adagir começou se trabalho como agricultor e criador de suínos na Granja do Vale. Depois, foi residir em Faxinal do Soturno, ele é proprietário de uma farmácia e sua esposa um laboratório de análises clínicas. Também foi vereador e presidente de cooperativa. 10.1 – Everton Rorato – nascido em Vale Vêneto, em 15 de setembro de 1972. Formado em Engenharia Elétrica, casado, reside em Panambi-RS.
10.2 – Gianuse Rorato – nascida no dia 29 de julho de 1977, em Vale Vêneto. Formada em Medicina na UFSM em Santa Maria.
10.3 – Geisa Rorato – nasceu em Faxinal do Soturno em 1º de abril de 1982. Formada em Engenharia e Arquitetura pela UFSM.
11- Irineu Francisco Rorato - Casado com Ziledan de Castro Alves, na cidade de Curitiba. Nasceu em 21 de setembro de 1943, e residem atualmente em Fortaleza-CE. Não tem filhos.


José Domingos Rorato e Eliza Marcuzzo com seus descendentes. Foto de 1959.

4 comentários:

Caro disse...

Nossa, achei muito legal o seu site. Pude ver toda a história da família. Fiquei muito feliz.
Sou neta do Nelson Marcelo Rorato e sou filha da Mirian Elisa.
Bom, se eu puder atualizar uma informação, meu pais não tem mais uma farmácia. ehehehe

Gostei muito da tua inicitiva.

A.G. Rorato disse...

valeu!!!

PATY disse...

ola gostei muito desse blog, sabe meu avó felicio marcuzzo veio para o brasil segundo a historia com 6 aninhos de idade, me parece que sozinho nao sei, ele era natural de trevizo, veio no navio savoia, desembarcou no porto de santos, depois foi trabalhar como lavrador na cidadela de chavantes, perto de Ourinhos, nao consigo saber nada dele, as tias de minha mãe nao sabem muito, perece que ele foi mais um pequeno sobrevivente, veio sozinho, cresceu, casou-se e morreu em chavantes mesmo, tenho apenas um documento de permanencia dele aqui com alguns dados e datas em pessimo estado, gostria muito de saber se ele veio sozinho mesmo!!! penso muito nele, embora nao tenha conhecido ele, mas desde bem pequena escuto a historia dele solitaria.....
meu email é fazendosocial@hotmail.com
estou em são paulo-capital
abraços
patricia

Escola Tuiuti disse...

Boa Noite
Muito bacana sua pesquisa. Iniciei fazendo a minha genealogia também.Sou neta de imigrante italiano meu bisavô RAPHAEL FANTI, CHEGOU NO BRASIL NO SÉCULO XIX.
Meu face Angélica Fanti..e-mail angelica.fanti@hotmail.com...se encontrares um Fanti de Alegrete favor me comunicar.
abraços
MARIA ANGÉLICA DA SILVA FANTI